Hipismo Caicó RN

Hipismo em Caicó. Encontre aqui telefones e endereços de centros esportivos e lazer em Caicó que oferecem dicas e informações sobre Hipismo. Encontre também lojas de artigos esportivos em Caicó.

Atlético Clube Corintians
(84) 3421-2298
Rua Otávio Lamartine 25
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Lions Clube de Caicó
(84) 3417-1833
Rua Clóvis Medeiros 62
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Rotary Club de Caicó
(84) 3421-2710
Avenida Coronel Martiniano 1665
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Cof
(84) 3421-2611
Rua Zeco Diniz
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Cieaf Academia de Musculação
(84) 3417-2863
Rua Zeco Diniz 1336
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Sesc Seridó
(84) 3421-2337
Rua Washington Luís 55
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Caicó Iate Clube
(84) 3421-1890
Avenida Seridó 316
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Aabb - Associação Atlética do Banco do Brasil
(84) 3421-2149
Rodovia BR-427 km 95
Caicó, Rio Grande do Norte
 
Clube Atlético Piranhas
(84) 3423-2524
Rua Mário Cavalcante
Jardim de Piranhas, Rio Grande do Norte
 
Academia Phisical Center
(84) 3417-1325
Avenida Coronel Martiniano 1309
Caicó, Rio Grande do Norte
 

Hipismo brasileiro: Conheça a história de um orgulho nacional

Hipismo brasileiro: Conheça a história de um orgulho nacional O hipismo nos moldes atuais foi criado na Inglaterra, quando os homens tinham costume de caçar, e, para isso, usavam o cavalo, tendo que superar diversos obstáculos. O hipismo se tornou um esporte olímpico, onde o trabalho do cavalo com o cavaleiro é muito importante, e os resultados dependem de uma boa integração.Hipismo Brasileiro: uma história de orgulhoO cavalo inicialmente foi domesticado para ser usado como instrumento de trabalho, transporte e passeio, conduzia os caçadores na Inglaterra, e eram usados em guerras. Na antiguidade os jogos com cavalos eram muito concorridos, e o dono do cavalo vencedor recebia um adorno feito em louro na cabeça. Hoje o animal é usado como trabalho em fazendas, e os passeios foram transformados em esporte voltado para homens e mulheres de todas as idades.Os nobres europeus praticavam muito a caça à raposa, principalmente os britânicos, e nelas eles precisavam saltar troncos, barrancos, passar por rios e enfrentar outros obstáculos. Com isso surgiu a arte do hipismo, que é montar o cavalo em várias prática esportivas como o salto, corridas, pólo, dressage. A atividade se desenvolveu no século XX, e ganhou as regras atuais em 1883 nos Estados Unidos. O esporte entrou para as olimpíadas em 1912, em Estocolmo, em três modalidades: Curso completo de equitação (CCE), Adestramento e Salto.Um pouco mais da históriaO cavalo chegou ao Brasil para ser explorado como forma de trabalho, e se adaptou melhor no sul do país. No século XVII, e teve a primeira competição de hipismo, organizada por Maurício de Nassau no ano de 1641, em Recife, Pernambuco, com a presença de cavaleiros brasileiros, franceses e holandeses. Na forma acadêmica a equitação começou a ser praticada em 1863, por Luiz Jácome de Abreu de Souza, que trouxe seus conhecimentos da Inglaterra. As primeiras associações hípicas foram criadas no ano de 1911 como o Clube Esportivo de Equitação no Rio de Janeiro e a Hipica Paulista, mas o esporte só ganhou força com a chegada da missão militar francesa em meados da década de 20, que melhoraram a técnica do esporte em todo o país.A coordenação do esporte no Brasil é feita pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), com várias federações estaduais, e entre os brasileiros de destaque no país e no mundo está Rodrigo Pessoa que é considerado o maior cavaleiro da História. Rodrigo Pessoa é filho de um grande cavaleiro, Nelson Pessoa, que já teve inúmeras premiações, mas seu filho conseguiu três premiações que ele não conseguiu: uma medalha olímpica em Atlanta, no ano de 1996, o Campeonato Mundial, como o mais novo campeão da história, na época ele estava com 26 anos, e a Copa do Mundo. Nos jogos Panamericanos de 1990 o Brasil conquistou medalha de ouro, e em maio do mesmo ano Rodrigo conquistou o tricampeonato mundial na categoria Salto, colocando em 1° lugar no ranking mundial.0 Comments